Moradia: Telhados, Cumeeiras, Caixas D’água, Forros, Varandas, etc.

Preocupe-se nesta fase da infestação, pois quando no local há reprodução, a água e a comida já estão em segundo plano. No início, aqueles foram os motivos mas agora a razão é a PROCRIAÇÃO. Nesta fase, toda ação tomada para afastá-los terá pouco resultado uma luta desleal, como enxugar gelo (as aves costumam ganhar).    

Água: Piscinas, Caixas D’água, Calhas Entupidas, Poças D’água, Bebedouros de Animais, etc.   Estima-se que o intercambio de aves em novos bandos dos bairros vizinhos aumentem a probabilidade em até 3 vezes para novas infestações dos locais atualmente infestados. De acordo com estudos, se um quarto das aves são exterminadas, o bando retorna ao seu tamanho original em menos de 24 (vinte quatro) meses, portanto a matança das aves além de ser proibido por lei não resolve o problema.

Comida: Grãos, Ração de animais domésticos, Mariscar a Beira mar, etc.   Outra arma contra as aves é suprimir seu alimento. Contudo, isso não é uma tarefa fácil em locais como: Armazéns de grãos, Fabrica de ração, Supermercados e Escolas, já que por si só constituem-se numa fonte de atração para essas aves.

Localizando o problema

Pombos nos beirais dos telhados atraídos por abrigos sob telhas.

Pombos abrigados em aparelhos de ar condicionado para procriação.

Pombos usando beirais de telhados, marquises e parapeitos de janelas atraídos por oferta de alimentos.

Pombos mortos em caixas d’água ou entupindo calhas de águas pluviais.

Excrementos de pombos em parapeitos, janelas, ar condicionado, pisos de varanda , roupas, áreas comuns, carros estacionados etc.